Diretora Geral do Hospital São Paulo, de Xanxerê, relata dias posteriores ao tornado

29 de Abril de 2015
Postado por: Daiane Servo

"JESUS CONTINUA SERVINDO EM CADA GESTO DE SOLIDARIEDADE"

“Eu vim para servir” (Mc 10,42), lema da CF/2015. Coincidência ou não, para a população de Xanxerê- SC, este lema se tornou vida nestes últimos dias. Após alguns dias do tornado que passou arrasando seis bairros da cidade, percebe-se claramente a solidariedade e disponibilidade das pessoas em servir.

A primeira experiência foi acompanhando as cenas dolorosas na emergência do Hospital Regional São Paulo. Médicos e colaboradores de todas as especialidades e profissões, uniram forças no atendimento ágil, com um único objetivo, o de Salvar Vidas! O vai e vem de ambulâncias, cada uma chegando e entregando aos nossos cuidados pacientes com maior ou menor gravidade, todos eles foram cuidados com carinho, atenção e respeito, vários foram salvos pelo comprometimento da equipe. Em quatro horas, foram atendidas em torno de oitenta pessoas.

Graças a Deus, o hospital não foi atingido e podemos contar com uma estrutura, tanto física quanto de profissionais, preparada para atender a todos. Os geradores seguraram a energia elétrica por 28 horas seguidas até reestabelecer a energia da concessionária, garantindo assim, atendimento ágil a todas as vítimas e segurança aos pacientes já internados.

Ao sair a campo e ver as fortes cenas da devastação, constatando que 34 de nossos colaboradores foram atingidos, dá para dizer que a mão de Deus protegeu, pois poderiam ser muito mais feridos e mortos. Nas ruas, logo que o tornado passou, a solidariedade tomou conta da população. As pessoas iam se aproximando das famílias atingidas para ajudar recolher e proteger o que sobrou. De perto e de longe, iam chegando mensagens de força e conforto. Transcrevo algumas palavras um diálogo com o pequeno Lourezo Menelli, de seis anos da cidade de Caçador – SC e que logo que soube da notícia dada pela imprensa assim escreveu: “Irmãs, como estão? Vi o temporal. Estou chorando e com muito medo. Por favor me responda. Estou rezando”. No primeiro sinal de internet consegui responder que estávamos bem. Na noite seguinte, 1h20min da madrugada ele comenta: “Isso é uma tristeza. Que nunca mais aconteça isto. Vai ficar tudo bem. Vamos rezar por vocês e pelo povo de Xanxerê. Pedi aos meus amigos da escola coisas para doação e nós vamos lá levar. Eu amo vocês. Isso me abalou muito. Achei que tivesse destruído a casa e o Hospital de vocês. Meu coração pulava nervoso. Fiquem tranquilas que nós vamos ajudar também. Eu já fiz uma arrecadação com meus amigos na escola. Já consegui R$ 48,00, decidimos ficar três dias sem lanche para ajudar as pessoas Xanxerê”.

Essas palavras do pequeno Lourenzo me emocionaram... Por ser uma criança de apenas 6 anos, nos ajuda compreender o que significa solidariedade. Renunciar o lanche para ajudar as pessoas. E ainda diz no final “é isso que Jesus espera de mim. Preciso ser líder e ajudar, assim Ele fica feliz comigo. As pessoas devem ver Jesus na minha pessoa e nas pessoas que sabem ajudar”, finalizou.

Assim como Lourenzo e seus amiguinhos, muitas pessoas deixaram seus afazeres, comodidades e fizeram suas renúncias em solidariedade e colocaram-se a serviço. É assim que o Reino de Deus, que tanto anunciamos, vai se concretizando.  Cada dia que passa, a solidariedade aumenta. Muitas campanhas estão sendo feitas. Muitas doações estão chegando... Muitas pessoas voluntárias trabalhando... Atrás do tornado da natureza, que tudo destrói, vem o tornado do serviço e da solidariedade que reconstrói! É neste mutirão de amor e solidariedade que as lágrimas vão secando e um novo sorriso de esperança desabrocha. Isto tudo se reforça nas palavras do Papa Francisco “Não devemos ter medo da solidariedade, de saber colocar o que somos e temos à disposição de Deus”. 

Irmã Neusa L. Luiz                                                                                                                                                

Diretora Geral do Hospital Regional São Paulo

Compartilhe
Voltar