NÃO TENHAS MEDO! (reflexão sobre o evangelho do 12º Domingo Comum)

24 de Junho de 2017
Postado por: Cristine Maraga

Por Ir. Neusa L. Luiz. 

Na liturgia do último final de semana, vimos que Deus chama e envia inúmeras pessoas para realizar seu Plano de Salvação.  Os textos bíblicos deste final de semana, falam das dificuldades que os discípulos encontraram para serem fiéis a esse chamado, mas garantem também que Deus não os abandona.

Após a escolha e o envio (Mt 10,1-4), Jesus dá um rumo à missão da comunidade (Mt 10,5-15). A missão não é tanto ir para longe, mas preocupar-se com as pessoas que estão por perto e que precisam de apoio, carinho, solidariedade, ajuda. A missão da comunidade é dar prosseguimento à prática de Jesus em favor de quem era marginalizado pela religião oficial de sua época: pessoas doentes, leprosas e possessas. As pessoas enviadas em missão devem anunciar o Reino de uma maneira simples e despojada, sem muitos artifícios de retórica ou de intelectualidade, muito menos em busca de resultados imediatos.

  

A missão de anunciar o Reino, no entanto, não será realizada sem conflitos (Mt 10,16). Jesus deixa claro que os apóstolos terão dificuldades com as autoridades religiosas dentro do judaísmo. Por isso, as comunidades devem ser antes de tudo, simples como pombas e prudentes como serpentes. Se o próprio Jesus enfrentou dificuldades com as autoridades religiosas, o mesmo vai acontecer com seus seguidores.

Jesus fala então das dificuldades na missão (Mt 10,17-22). Estas dificuldades refletem a situação das comunidades cristãs na época em que o Evangelho de Mateus foi escrito (por volta do ano 85 dC). No momento, as pessoas que optaram pela proposta de Jesus estão sendo açoitadas, caluniadas, perseguidas e enfrentando julgamentos civis (tribunais) e religiosos (sinagogas).

Diante de tantas dificuldades, Jesus dá duas recomendações (Mt 10,23-25): Primeiro: Se você for perseguido num lugar, fuja para outro. Há muitos lugares e pessoas aguardando ansiosamente por alguém que os anuncie a boa notícia do Reino. Segundo: não ter medo!

A recomendação de Jesus, “não tenha medo”, aparece três vezes no texto (vv. 26.28.31). Sinal de que o grande problema nas comunidades daquela época era justamente o medo. Medo de ser preso, de ser torturado, de ser expulso da comunidade religiosa, de entrar em conflito com os familiares de sua própria casa. Muitos conflitos! Diante de tantas dificuldades as pessoas fugiam de seus compromissos batismais, negando sua opção por Jesus e pelo Reino, fugindo da missão.

Em nosso país, professar a fé não nos compromete em nada. Temos total liberdade de religião e de culto. Então, qual o nosso maior medo? Por medo de ser criticado ou desprezado, muitas pessoas deixam de anunciar as maravilhas do Reino. Por Medo ou vergonha, muitos se omitem diante da necessidade de denunciar as práticas de injustiças que acontece ou a falta de viver os valores humanos/ cristãos.  E por medo ou vergonha, se calam... e cedem ao velho respeito humano...  Para esses, Jesus adverte: "Quem me negar diante dos homens, também eu o negarei diante do meu Pai, que está nos céus".

A Palavra de Deus hoje nos convida a superarmos o medo e assumir com coragem a missão que Jesus nos confiou. Nos apela para que com a força da fé, tenhamos a coragem do anúncio cristão, do testemunho... a audácia da verdade.

Possamos nos encorajar com as palavras de Jesus: não tenham medo! Vocês valem mais que muitos pardais… (Mt 10,31).

Sem a superação cotidiana do medo, nossa missão estará comprometida; perderá sua força inovadora, garantida pela novidade do Projeto de Deus.   

Imagens: Divulgação

Compartilhe
esta notícia
Voltar