Leigo Franciscano: Uma opção de vida (Relato do Leigo Valter Ebertz)

08 de Abril de 2018
Postado por: Cristine Maraga

Associação Missionária de Leigos Franciscanos “Madre Bernarda” (ALMABER)

 

Na foto: Leigo Valter (de chapéu) em visita à Colômbia, juntamente com outros Leigos Almaber 

Um Tau, fixado em um cordão com três nós, que carrego em meu pescoço, é o símbolo visível da minha opção de vida: o franciscanismo. Este estilo de vida com toda a sua significação está gravado em minha alma. Sou integrante da Associação Missionária de Leigos Franciscanos “Madre Bernarda” - ALMABER. Faz alguns anos que fui consagrado juntamente com outros onze colegas de ideais. Conheci a Associação através de um convite formulado pela Ir. Ida que, naquela época, residia aqui em Xanxerê. É através da pertença à fraternidade da APAX que integro a  grande Família Franciscana, partilhando a espiritualidade,  a missão e vivenciando o carisma da Congregação das Irmãs Franciscanas Missionárias de Maria Auxiliadora.

Vivenciar diariamente as virtudes e o carisma  franciscano tem sido meu norte, meu ideal.  No legado espiritual de Santa Maria Bernarda  -  nossa fundadora – e nos belos exemplos de Santa Clara e São Francisco de Assis, procuro repetir estas atitudes de cristão comprometido, que é   viver o Evangelho de Jesus Cristo na sua radicalidade, testemunhando e promovendo o Reino de Deus, em defesa da vida. 

Gosto do grupo franciscano que pertenço. Ele é uma pequena fraternidade, a extensão da minha família. Convivo igualmente com as irmãs que nesta cidade residem. Também procuro colaborar nos projetos sociais da província. Colaborei com o Projeto Bom Pastor, em Chapecó e com o Projeto Vida Cidadã, aqui em Xanxerê. Creio que ser leigo consagrado é isso: é dar testemunho da minha fé na família, no ambiente de trabalho, na comunidade e na igreja através da fraternidade, minoridade e misericórdia

Claro que não tem sido fácil pois demanda tempo, recursos, renúncias, boa vontade, determinação e perseverança. Mas vale a pena, como diz o poeta português Fernando Pessoa “tudo vale a pena se a alma não é pequena”. Assim minha existência humana e cristã vive aberta a todas as dimensões e possibilidades. Possuo a certeza de que tudo é dom gratuito de Deus. Vejo Deus criador refletido em suas criaturas.

Louvo meu Deus e Senhor. Procuro ser sempre um arauto do Grande-Rei. Com muita oração e leitura:  da bíblia, dos documentos da igreja, das fontes franciscanas, alimento meu espírito. Sempre saio mais animado dos encontros promovidos pela congregação (o encontro mensal do grupo e o encontro anual da província). É através da Associação que sinto-me mais feliz, realizado  e filho amado de Francisco, da Igreja Católica Apostólica  Romana e de Deus - que é Pai, Filho e Espírito Santo. Paz e Bem!

Texto escrito por Valter José Ebertz. Fraternidade Ir. Maria de Lourdes,   APAX, Xanxerê –SC.

Compartilhe
esta notícia
Voltar