Ir. Lourdes relata a visita de Papa Francisco a Cartagena

16 de Setembro de 2017
Postado por: Cristine Maraga

O Papa vem a Colombia para confirmar a fé, e dar ânimo a Esperança dos colombianos com o convite de Dar o primeiro passo.

Papa Francisco visitou as cidades de Bogotá, Medellin, Villaviencio e terminando em Cartagena no dia 10 de setembro. A Arquidiocese de Cartagena veio se preparando, com alegria e oração para esta visita do Papa Francisco a Cartagena. A acolhida foi feita no Aeroporto Rafael Nuñes seguindo a passagem e parada na paróquia de São Francisco. Na Praça de São Francisco, frente a Igreja, abençoa duas obras sociais da Arquidiocese de Cartagena. Benção da Casas para os Sem Teto e Obra Talita Qum.

Apesar do pequeno incidente que sofreu em sua rota no papamóvel, o Papa Francisco visita a casa de dona Lorenza Pérez, de 77 anos, que por mais de 50 anos abre sua casa para acolher, cozinhar e distribuir alimentos aos necessitados de 0 a 6 anos que vivem neste bairro San Francisco, um mais pobres de Cartagena. Esta foi a única casa que ele visitou o Papa em sua viagem para a Colômbia, foi Dona Lorenza que tratou a ferida causada no golpe sofrido no papamóvel para saudar uma criança.

" Ele foi a melhor coisa que poderia acontecer para mim na minha vida. Eu digo a todos os jovens em San Francisco, todas as crianças, a arrogância, o orgulho, a vaidade são inúteis. Você dá amor a todos. Quando damos amo, nós amamos", disse Lorenza.

Segue dali ao centro Histórico de Cartagena no Santuário de São Pedro Claver para a oração do ANGELUS. Lembra os milhões de pessoas vendidas como escravos por falta de humanidade e na Catedral de Santa Catarina o Papa abençoou muitos enfermos.

CELEBRAÇÕES NO CONTECAR

Com muita alegria, emoção, Ir. Maria Elisa Hincapié - superiora geral da Congregação das IFMMA, Ir. Maria Aparecida M. Franco, vigária geral da congregação, Ir. Ela Sosa, superiora da fraternidade Casa Madre de Cartagena, Ir. Maria Teresa Perez e Ir. Lourdes Tereza Covatti, responsáveis pelo Santuário e Museus biográfico de Santa Maria Bernarda, seguimos caminhando com centenas de outras pessoas em direção ao espaço do CONTECAR com o compromisso de apresentar a relíquia e o quadro de Santa Maria Bernarda durante a celebração antes da Eucaristia final.  Desde ali aguardamos aguardo da chegada do Papa.

Antes da missa em CONTECAR, houve uma programação especial com Adoração do Santíssimo, cantos e orações e entronização do quadro e relíquia e de Santa Maria Bernarda e S. Pedro Claver.   Dois santos que se santificaram nas terras de Cartagena.

Enfim a hora almejada por mais de 250 mil fiéis. De helicóptero desde a base Naval até a sede portuária de CONTECAR, chega o Papa, mensageiro da paz. De papamóvel passa no meio da multidão que aclama e aplaude. Segue então a última Eucaristia da viagem à Colômbia nesta cidade, chamada «a heroica» a sede dos Direitos Humanos na Colômbia, que, «graças ao grupo missionário formado pelos sacerdotes jesuítas Pedro Claver y Corberó, Alonso de Sandoval e o irmão Nicolás González, se preocuparam por aliviar a situação dos oprimidos de então, especialmente a dos escravos.

Na homilia o Papa Francisco nos deixa a mensagem:

 “No encontro entre nós, descobrimos novamente os nossos direitos, recriamos a vida para voltar a ser verdadeiramente, humana. Para isto devemos estar preparados e solidamente fundados em princípios de justiça que, em nada, diminuem a caridade. Não é possível conviver em paz, sem fazer nada contra aquilo que corrompe a vida e atenta contra ela. A propósito, lembramos todos aqueles que, ousada e incansavelmente, trabalharam e até perderam a vida em defesa e proteção dos direitos da pessoa humana e da sua dignidade. Como a eles, a história pede-nos para assumirmos um compromisso definitivo na defesa dos direitos humanos, aqui em Cartagena das Índias, lugar que escolhestes como sede nacional da defesa deles.

E fala dos dois santos de Cartagena:

São Pedro soube restaurar a dignidade e a esperança de centenas de milhares de negros e escravos que chegavam em condições absolutamente desumanas, cheios de pavor, com todas as suas esperanças perdidas. Não possuía títulos acadêmicos de renome; chegou-se mesmo a afirmar que era «medíocre» de inteligência, mas teve o «gênio» de viver cabalmente o Evangelho, de ir ao encontro daqueles que os outros consideravam apenas um desperdício. Séculos mais tarde, a senda deste missionário e apóstolo da Companhia de Jesus foi seguida por Santa Maria Bernarda Bütler, que dedicou a sua vida ao serviço dos pobres e marginalizados nesta mesma cidade de Cartagena.  Também ela teve a inteligência da caridade e soube encontrar Deus no próximo; nenhum dos dois ficou paralisado à vista da injustiça e das dificuldades. É que «perante o conflito, alguns limitam-se a olhá-lo e passam adiante como se nada fosse, lavam-se as mãos para poder continuar com a sua vida. Outros entram de tal maneira no conflito que ficam prisioneiros, perdem o horizonte, projetam nas instituições as suas próprias confusões e insatisfações e, assim, a unidade torna-se impossível. Mas há uma terceira forma, a mais adequada, de enfrentar o conflito: é aceitar suportar o conflito, resolvê-lo e transformá-lo no elo de ligação de um novo processo.

 

 

MENSAGEM FINAL

“Dar o primeiro passo” é sobretudo ir ao encontro dos outros com Cristo, o Senhor. Ele sempre nos pede para darmos um passo decidido e seguro rumo aos irmãos, renunciando à pretensão de sermos perdoados sem perdoar, de sermos amados sem amar. Se a Colômbia quer uma paz estável e duradoura, deve dar urgentemente um passo nesta direção, que é a do bem comum, da equidade, da justiça, do respeito pela natureza humana e as suas exigências.

Papa Francis concluiu sua última mensagem, "Dar o primeiro passo" é acima de tudo ir para conhecer outras pessoas com Cristo, o Senhor”, conclui o papa.

 

FRASES MEMORÁVEIS

Papa Francisco deixa frases memoráveis ​​em sua passagem pela Colômbia gravadas no coração de cada um dos colombianos e os paroquianos do mundo que acompanhavam cada um dos seus ensinamentos de paz, reconciliação e perdão impregnadas com sabedoria e humildade. 

Assim, o objetivo da visita do Santo Padre a todos os setores da Colômbia era uma realidade: como um peregrino semeou a semente da paz não só na Terra, mas em cada um dos que ouviram a ele, incluindo até os mais indiferentes, estão replicando as frases que foram abordados para cada grupo de população de acordo com a necessidade espiritual. 

Aos jovens

"Como não ser capaz de mudar esta sociedade a que se propõem! Não tenha medo do futuro! Ouse sonhar grande!", Disse na Plaza de Bolívar, em Bogotá.

“Não  deixem que lhe roubem a alegaria...a Esperança”

"Sua juventude os torna capazes de uma coisa muito difícil na vida: Perdoar"

 As vítimas do conflito armado

"Você que carrega em seu coração e na sua carne os vestígios de vida e história recente de seu povo, marcada por acontecimentos trágicos, mas também cheio de gestos heróicos de grande humanidade".

"Curar a dor, e dar as boas-vindas a todos os seres humanos que cometeram crimes, reconhece, se arrepende e promete reparar, contribuindo para a construção da nova ordem onde a justiça brilho e paz", disse ele em Villavicencio em um ato de reconciliação com vítimas e perpetradores de conflito armado.

 Os sacerdotes e da Igreja

"A Igreja é 'sacudida' pelo Espírito para deixar o seu conforto e anexos." A renovação não devemos ter medo "

"O diabo entra no bolso ...". Não podeis servir a Deus e a Mamom ".

"Não podemos tirar proveito de nossa condição religiosa e da bondade de nosso povo para ser servido e ganho material", disse por sua vez em uma casa religiosa.

Para a paz

Reconciliação, "é abrir uma porta para cada um e cada uma das pessoas que viveram a realidade dramática do conflito" para que "quando as vítimas superarem a tentação compreensível de vingança tornam-se atores mais credíveis no processos de construção da paz ".

"A busca da paz é sempre obra aberta, uma tarefa sem tréguas e requer o compromisso de todos."

Para o ambiente

"A violência no coração humano, ferida pelo pecado, também se manifesta nos sintomas da doença que está no solo, na água, ar e as coisas vivas".

A casa comum de todos os homens deve edificar-se também sobre a compreensão de uma certa sacralidade da natureza criada”

Em Villavicencio

"Todo esforço pela paz sem um compromisso sincero com a reconciliação está fadado ao fracasso". A reconciliação "se concretiza e consolida pela contribuição de todos e que "todo esforço pela paz sem um compromisso sincero com a reconciliação está fadado ao fracasso".

Aos religiosos:

A primeira: ir ao essencial, isto é caminhar em profundidade rumo ao que conta e tem valor para a vida. Disse que o discipulado deve partir de uma experiência viva de Deus e do seu amor, é aprendizagem permanente através da escuta da sua Palavra: “E esta Palavra, impõe-nos cuidar das necessidades concretas dos nossos irmãos: pode ser a fome de quem vive ao nosso lado ou a doença”.

A segunda palavra: renovar-se. A renovação não nos deve meter medo, mas implica sacrifício e coragem, não para nos considerarmos melhores ou impecáveis, mas para respondermos melhor à chamada do Senhor: “E na Colômbia, há tantas situações que reclamam, dos discípulos, o estilo de vida de Jesus, particularmente o amor traduzido em atos de não-violência, de reconciliação e de paz”.

A terceira palavra: envolver-se. Envolver-se, ainda que para alguns isso pareça sujar-se, manchar-se. Também hoje nos é pedido que cresçamos em ousadia, numa coragem evangélica que brota de saber que são muitos os que têm fome, fome de Deus, fome de dignidade, porque dela foram despojados.

Texto escrito por Ir. Lourdes T. Covatti

Compartilhe
esta notícia
Voltar